'naci y o bloqueo ya existia': cubana maria antonia jimenéz

semana passada conversei rapidamente(um mix de entrevista e bate papo, sabes?) com a cubana maria antonia(olha o anexo), no carro da fundação carlos gomes que a levava para participar do programa 'sem censura', da tv cultura. o meu interesse era a sua observação sobre a aproximação de eua com o seu país. disse-me que o que era bom para o seu país também era para si. inclusive fez elogios para o papa, inúmeras vezes. tudo ia bem, maravilhoso, a conversa agradável, amigável, até que, criei a tensão com uma pergunta: e a sua filha, como está? ainda em cuba? diz-me: sim, sim, lá não tem esse consumismo que há no mundo.... caramba.... como as guerras mudaram(pensei por cá). ah, maria antonia falou sobre os 20 anos do coral que rege - 'há gente talentosa nesta terra', justifica.


31/01/2011: Regência com um toque feminino revolucionário

2011 será o ano para o XII Concerto de Música Sacra e também, de comemorações de 16 anos do Coral Carlos Gomes. A regente é a musicista Maria Antonia Jimenéz, cubana, 47, e que está entre nós desde 1995, direto da Rússia, onde residiu durante cinco anos. O Coral já foi premiado na Itália. Jimenéz traz a música da escola de Guantánamo, Cuba, uma das melhores do mundo. Foi-me impossível conversar com a professora sobre a nossa latinidade musical, sem antes entrarmos no aspecto da educação de qualidade para todos, marcando bem a diferença de que seu país é revolucionário, característica diferente da brasileira. 'Eu sou uma pessoa otimista', o crescimento humano traz a evolução em todas as áreas - me conta -, para início de diálogo. Acredita no Brasil, mesmo surpresa em saber que é um país tão grande e cheio de brasis, com estranhamento entre regiões, o que provoca a ausência de uma identidade nacional única. Estudando, aprendendo, buscando o que se quer com muito trabalho e disciplina. Filosofia básica de vida. Quando montou o coral,  Jimenéz sugeriu um concerto ao final de cada ano com toda a orquestra, porque o Pará dispõe de material humano para realizar o projeto. E assim foi feito, com a sua iniciativa. Ainda através de sua interferência, colocando o grupo à prova em alguns concursos nacionais, e sem obter retorno real, em termos de resultados justos, partiu para um maior fora do país e nos traz o troféu(2002). Ela estava correta. O grupo era de grande valor profissional. Uma parte do espelho. No canto coral. E de pais afinadíssimos, família cantante, Maria Antonia Jimenéz aposta no talento da filha que irá estudar em Cuba, no segundo semestre.