maio 19, 2012

'cultura viva' mapeado pela revista dynamite



imagem: cris moreno
cultura viva é um programa de rádio. e este é o fabrício rocha(produtor), radialista e produtor cultural. é dele ainda, a produção do rototon - rádio reggae. os dois programas são da rede cultura de comunicação. fabrício rocha de souza leite, 31, rir entre livros: pudera, sai do texto, o sucesso da voz. concorre a prêmios.
fabrício rocha entrou para o quadro funcional da rede cultura de comunicação, através de concurso. está no departamento de produção da rádio cultura fm. sob a sua responsabilidade estão dois programas: cultura viva(todas as sextas, às 8 da noite) e rototon rádio reggae(todos os sábados, às 6 da tarde). produz tudo, desde a colheita do fato, até a edição dos programas. ah, a apresentação é sua.

cultura viva
este programa vem de 2008, com o osvaldo bellarmino. rocha está desde 2009. é um programa direcionado para shows, para apresentações ao vivo. 'saio nas madrugadas pela cidade, visito as casas de espetáculos, faço entrevistas de bastidores.... a importância dele é grande, porque não existe mercado fonográfico em belém, quer dizer, de peso. ninguém grava cd toda semana, então, as apresentações ao vivo passam a ser uma forma de escoar também, a música feita na capital. por exemplo, a luê soares não tem nenhum cd gravado e a colocamos no programa. além disso, passamos a incorporar o circuito independente no país, canções produzidas pelos pequenos selos e que tocam em festivais. vou a essas realizações, pessoalmente, pegar esse material para o cultura viva. e é daí que vem o destaque do programa', explica rocha.

o acervo do programa é ímpar, devido aos registros inéditos.

um prêmio nacional, através da revista dynamite,(idem¹) mapeou o programa. há 10 anos, dos 20 de existência, a revista que é direcionada para a produção independente, faz premiação especial, mapeando todo o circuito nacional. são 20 categorias. 'o lance do prêmio dynamite não é a questão do prêmio em si, mas o mapeamento nacional', revela fabrício.

até o dia 30 de maio você pode votar. cadastre o seu e-mail, receba a sua senha(e-mail), volte ao sítio e coloque a senha em uma das categorias. o link de votação: [por cá]. um detalhe: verifique no spam, se não cair diretamente na sua caixa de entrada do e-mail.

rototon rádio reggae
o programa tem a caraterística própria das comunidades. e é feito ao vivo. 'a galera vem ao programa. a emissora segue a linha do reggae há mais de 20 anos. entrei direto no reggae, na produção da rádio, após ser aprovado em concurso. foi a minha primeira participação em um programa(2007). depois participei da produção do cena musical, que por incrível que pareça, também foi mapeado pela revista dynamite(2008). atualmente, faço a produção sozinho do rototon, assim como do cultura viva. maio é o mês de tributo à bob marley. inclusive, no próximo dia 2 de junho, no parque dos igarapés, será a apresentação do dread mar i(argentino). o slogan do programa é: 'rototon rádio reggae, o som de todas as pedras'. é uma história da gente ir além do que rola. a sua vertente é o reggae roots, dos anos 1970. o mundo passeia por outros sons. dialoga com várias culturas. amanhã(hoje, sábado), o programa vai trazer um grupo de manaus, dentro do festival pará roots. no domingo(amanhã), será realizado, talvez o evento mais importante do reggae no ano, o tributo ao bob marley. sai da praça da república e vai para a praça waldemar henrique, que é a caminhada da paz, e que reúne cerca de 10 mil pessoas. serão apresentados vídeos, tendas de vinis, shows de bandas.... 31 anos de morte, fez no dia 11. um evento nacional', divulga o produtor cultural.

fabrício rocha é correspondente da rádio da universidade federal de são carlos(ufscar-são paulo). todas as quarta-feiras, à tarde, entra direto na programação, com as nossas novidades. 'essa rádio tem um 'quê' de experimentalismo', justifica o radialista.


entrevista concedida na biblioteca da cultura, em 18/05/2012.


maio 08, 2012

'é o guru que nos escolhe': márcia salame

'o próximo sempre esteve muito próximo. dizem que tenho um pé na índia. entre o nascimento e a velhice, a medicina faz o seu caminho, contudo, está morrendo': um olhar macro que vem da médica márcia salame, adepta dos ensinamentos do guru sai baba(idem¹). há mais de dez anos, salame visita a índia para trabalhar no templo, como lavar, passar, cozinhar, rezar....
márcia valéria de nazaréth athias salame, 55, médica pediatra há mais de 30 anos. 'eu tenho um guru indiano. todos os anos ia para ficar no ashram dele. isso lá vai mais de 10 anos. viajava para a europa e os 10 últimos dias restantes das férias, fazia o caminha para a índia. aliás, o nome de minha lojinha chama-se 'ellora'(presentes e artigos da ásia), por conta da película caminho para a índia. conheço as suas cavernas. neste ano, vou direto para a áfrica do sul(mumbai), com os meus três filhos. já viajei com o meu marido, o médico cirurgião alberto gomes salame. mas, geralmente vou sozinha', revela a médica.
na verdade, a loja que não deixa de ser uma ligação humanitária, também é o ponto de encontro de profissionais que dispensam uma tarde de cada mês para ajudar pessoas carentes. essa ideia ou projeto de vida, vem do exercício indiano. 'me inspirei no exemplo da índia. como diz meu guru, 'mãos que trabalham são mais sagradas que lábios que oram'. todos os sábados, pela manhã, estou na ellora. participam do grupo enfermeiras, fisioterapeutas, odontólogos, professores, profissionais aposentados.... somos quase 20. não trabalhamos para ong, para políticos, para governos - crescimento espiritual próprio. há mais de dois anos estamos nessa luta. já fomos para o aurá, pratinha.... e para o atendimento aos ribeirinhos, meu marido comprou um barco de pesca(pequeno porte), já com um passeio agendado para cotijuba(ilha), no próximo mês. levamos também roupas, remédios, alimentação, peças de higiene corporal.... estamos abertos. quem quiser participar, entrar em contato com a loja ellora, e que fica na avenida conselheiro furtado, 917, fone: 3230-0349, batista campos. é um novo espaço, amplo, de dois andares, sendo que, no andar superior foi inaugurado o 'espaço daniel cansanssão', disponível à palestras e encontros sobre a espiritualidade e é de graça.
'a medicina está morrendo e o pediatra está acabando', diz márcia. você não vê pediatra novo. é muito difícil, quando isso acontece. os jovens médicos procuram mais a geriatria, mesmo porque a longevidade agora é maior. na minha área, na índia, nos hospitais que aqui não têm igual, e que fica no lugarejo de puttaparthi, onde vou, todos trabalham de graça, é tudo doado, ninguém tira dinheiro de lá. é um super hospital e está em um vilarejo. e é de super especialidades, com cirurgias ocular, cardíacas.... enquanto estamos abandonados. precisamos desde leitos, e a questão saúde precária, é no brasil todo.
márcia salame é paraense, pai judeu(ex-secretário de educação do estado, jonatahas athias), mãe de origem portuguesa e, marido árabe....

entrevista concedida na ellora, em 05/05/2012.