janeiro 31, 2014

isso virou uma febre.... boneca monstro?

você não faz ideia da intensidade da busca por esse tipo de desenho,
pelas crianças e adolescentes. é para preocupar? saiba +.

'veja' o clima eleitoral....(rsrs)




passa todas as semanas nas bancas e observa o que está rolando nesse tipo de mídia. aproveita e saca os últimos lançamentos de livros. peguei essas imagens no Pátio Belém(shopping), na livraria newstime - semana 25/01.

janeiro 29, 2014

‘só a morte salva os vivos!’



mas, coloca nisso mmmmuuuuiiiittttaaaassss mortes, para que algo mude.  por enquanto, são só acidentes de latarias, uma dorzinha aqui e outra, acolá. a ambulância vive na área. a perícia, essa nem se fala. ninguém percebe a placa pare. nem sabem o que é preferencial no trânsito. a média de acidentes por ano está em cerca de 50(circula os 48), entre motos e carros. o que achas? esse cruzamento está na rua dos 48 com a presidente pernambuco. a 48 é tão pequena, que você não diz que o absurdo do tamanho de suas aberrações vêm de lá(e apresentam o quadro de completo abandono). nesse pedacinho do inferno(?), acontece de tudo. mulheres são espancadas. mão e contra(trânsito), isso nem existe. vendedores ambulantes estão avançando. bares e bordel, dão no mesmo. barulho, músicas no volume máximo, tudo isso é pingo de chuva. e os donos dessa rua tão miudinha, são aos montes. atrás da igreja da trindade(a dez passos da 48), a mulherada costuma levar bordoadas(arre!). os gritos ecoam na noite e madrugadas. não constam mortes(ainda). de qualquer forma, dá-se um jeito. estão colados na 48, um necrotério, um cemitério, várias casas de saúde(clínicas e hospitais). pobre rua dos 48, tão pequena.... daria 48 crônicas sem o mínimo esforço de quem a contempla. confira imagens:









primeira parte da rua

parte final da rua



janeiro 17, 2014

a) Ela era assim(título) - ....(entra o texto, iniciando com os pontinhos, assim mesmo!) b) Ela era assim(título) - , (entra o texto, iniciando com a virgula, assim mesmo!)


Pois então, ela era mais um Leão Guilhon, mas, com o casamento com o primo, ficou Guilhon Leão. É chamada de Mariza, a Maria de Nazaré Guilhon Leão. O formato, isto é, a configuração deste texto, fui buscar no Fragmentos de Vida: contos(Edições Galo Branco), de Norma Guilhon, viúva do governador, e que mora no Rio de Janeiro, até hoje. O livro lançado em 2008, já foi premiado. O marido-primo de Mariza, Raymundo Leão, trabalhou na censura instalada no país, durante a ditadura militar. O outro primo, Manuel Emílio Guilhon, foi Consul do Brasil em Lisboa, depois, Embaixador do Brasil na Espanha. O Inácio Guilhon, pai do governador, foi Desembargador. Mariza trabalhou na Embrafilme e nos consulados inglês e americano. Chegou a morar um ano com o então governador, seu irmão, no palacete governamental. Fala várias línguas. Da família toda, lhe restam uma irmã que mora sozinha no Rio de Janeiro e a cunhada, Norma, que muito a orgulha. Maria de Nazaré Guilhon Leão não tem herdeiros, é viúva, mora em apartamento alugado e anda de ônibus. Como se declara, ‘sou independente e lúcida – minha cabeça ainda funciona'. Ah, a peça literária é maravilhosa. Norma, em alguns contos, inicia dessa forma, depois do título, com pontinhos, vírgula, caixa alta.... enfim, muito bem feito e escrito. Foi gratificante e prazeroso lê-lo. Ganhei um exemplar!

esse 'rolezinho' acontece há tempo....


no shopping Pátio Belém.
A dona Lourdes já conhecemos. da esquerda para a direita: Marileda Miranda(pedagoga, 57), Altair Alencar(médica, 68), dona Lourdes(que se diz com 84), Maria de Nazaré Guilhon(irmã do governador do Pará, Fernando Guilhon, 84), Laura Aguilera(matriarca da família Aguilera,84). a galera das 84, não é mesmo? toda sexta, no Brisa Café, sem falta!

você....


alugaria um imóvel nessa condição?

e nessa? compraria?